1ª Edição da Semana da Família Acolhedora será na próxima terça, 16

1ª Edição da Semana da Família Acolhedora será na próxima terça, 16

Da Redação

Evento pretende reunir mais interessados em fazerem parte do programa
Evento pretende reunir mais interessados em fazerem parte do programa

Da Redação

A 1ª Edição da Semana da Família Acolhedora já tem data para acontecer. Será na próxima terça-feira, 16, a partir das 8h30. O evento será no plenarinho da Câmara. Segundo a organização da atividade, o objetivo é reunir novos interessados em participarem do Programa Família Acolhedora. A Semana da Família Acolhedora será organizada pela Casa da Criança e do Adolescente, com apoio da Prefeitura e da Câmara.
Na chegada os participantes serão recepcionados com um café, às 8h50, seguido do início da solenidade com a composição da mesa. Depois haverá a exibição de um vídeo e às 9h20 acontecerá uma palestra da escritora Jane Valente com o tema: Apego e Desapego. Mais informações sobre o evento no telefone 3871-0546

Segundo a coordenadora do Programa Família Acolhedora, Roberta Cimino, a intenção da atividade é a melhor possível. “Minha expectativa é que essa semana seja de esclarecimento para que as pessoas conheçam o programa e se sensibilizem pela causa, lembrando que necessitamos de famílias voluntárias”, pontuou.

Semana da Família Acolhedora
Os vereadores aprovaram no último dia 11 de abril o projeto que cria o Dia e a Semana Municipal da Família Acolhedora. O objetivo da data, segundo os autores Franklin Duarte (PSDB) e Roberson Costalonga “Salame” (PMDB), é divulgar o programa, que capacita famílias para receberem em suas casas crianças, adolescentes ou grupos de irmãos em situação de risco pessoal e social, dando a eles a possibilidade da convivência familiar por até dois anos.

Membros da Casa da Criança estiveram no plenário para acompanhar a votação. Para o vereador Franklin, o programa é uma oportunidade para as crianças. “Essa propositura é para que consigamos sensibilizar as famílias valinhenses, chegando aos quatro cantos do município”, afirmou.
Salame disse que o projeto foi baseado na Constituição Federal e no Estatuto da Criança e do Adolescente. Ele afirmou ainda que é preciso divulgar o programa. “Tenho certeza de que tem muitas famílias que não sabem como funciona o projeto, mas têm interesse”, afirmou.